16/09/2017
Gaitaço no Boitatá

De contraponto com a gaita velha baguala
O gaiteiro canta um verso do outro lado da sala
E eu cabresteado nos braços de uma potranca
Arrodeio pros dois lados agarrado na percanta

Boleio um trago que é pra não desidratar
Me vou as macegas pra mode de tomar um ar
Deixo a pinguancha n'algum canto palanqueada
Não sou de deixar a carne exposta pra cachorrada

(dê-lhe vaneira dê-lhe polca chamamé
Nessa bailanta eu danço tudo o que vier
Figuro um xote sem enredar nenhum pé
Quem não se avança não dança nem arruma o par que quer)

Balanço o corpo perco peso e dê-lhe xixo
Numa valsita floreada colo o rosto no cambicho
Que importa o tempo se uma noite não é nada
Sapateando e sarandeando vamo até de madrugada

Encurto o tranco e vou pisando de mansinho
O gaiteiro não parou fica só mais um pouquinho
O fim do baile é mais gostoso que o começo
Manda carta te visito te juro que não te esqueço

Quem não se avança não dança nem arruma o par que quer

Ao som do Grupo Gaitaço, o Centro Nativista Boitatá dançou com seus associados e convidados, após jantar um deliciosos churarsco, e assistir as apresentações da invernadas pré Mirim e Xirú.

 
Table 'jjbetimc_sitiojj.contador' doesn't exist